<%@ Language=VBScript %> Ordem dos Frades Menores Capuchinhos

PAZ e BEM! Bem-vindo à Página dos Frades Missionários Capuchinhos

Página Principal


São Francisco Assis


Espírito de Assis


Porciúncula


Ordem Capuchinhos


Missão em Timor


Onde Vivemos


Espaço Jovem


Música


Apontadores


 
Por dentro da...

Igreja de Laleia

Igreja de Laleia (Timor-Leste)Embora queiramos mostrar a Igreja por dentro, não podemos deixar de partir do lado de fora para admirar aquela que, para nós, é das igrejas mais bonitas que podemos encontrar nesta linha entre Baucau e Díli.

Quem vem de Vemasse, junto às várzeas, e antes de atravessar a ribeira, não pode deixar de reparar no imponente edifício que se destaca no alto de uma colina, entre pequenas casas cobertas com telhados de zinco.

Mandada construir pelo Pe. Diogo Caetano de Almeida, por volta do ano de 1920, e inaugurada no dia 19 de Novembro de 1933, tem como Padroeira Nossa Senhora do Rosário (Na'in Feto Rosário). Para além da imagem da padroeira tem uma imagem de Santo António, de Santa Teresinha, do Sagrado Coração de Jesus e uma de Cristo Crucificado que, segundo o Pe. Apolinário, actual reitor do Seminário de Fatumeta, terá entre 300 a 400 anos.

Desde a sua construção, até aos dias de hoje, a Igreja praticamente não sofreu nenhuma alteração a não ser, logo de início, aquando da ocupação Japonesa, durante a Segunda Guerra Mundial, em que foram encurtadas as duas torres sineiras. Quando todo o território já era controlado pelos militares japoneses, o Comandante Supremo deste exército, passou por Laleia e ordenou a demolição da igreja, mas o povo, ajudado por dois militares japoneses, o Tenente Ono (então Comandante Militar do Distrito de Manatuto) e o Sargento Tanabe, agente dos Serviços Secretos japoneses, conseguiram demover o Comandante das suas pretensões. Apesar disso, este ainda ordenou a demolição das torres, por teimosia, diz o povo. Durante o tempo de ocupação, a igreja serviu de cozinha para as tropas e de estábulo para os cavalos.

Em 1976 as tropas indonésias estacionaram no adro da igreja diversos camiões militares carregados com material bélico de grande calibre, e canhões apontados para o monte Lalini, desconfiando que ali houvesse guerrilheiros da Fretilin. Até 1978, altura em que o povo se rendeu e desceu das montanhas, a igreja esteve completamente abandonada.

A igreja passou a ter energia eléctrica em 1991, quando o governo da Indonésia lançou um programa de electrificação dos principais centros urbanos, denominado Listrik Masuk Desa.

Hoje encontra-se bastante degradada mas nem por isso perde um certo encanto, no meio de uma terra tão pobre, árida e seca. As portas e janelas são as originais e embelezam a fachada de estilo marcadamente português, com influência do estilo gótico.

A Igreja de Laleia vista ao longe

A Igreja de Laleia vista ao longe

A Igreja de Laleia vista ao longe

A Igreja de Laleia vista ao longe

A Igreja de Laleia vista ao longe 1

A Igreja de Laleia vista ao longe 2

A Igreja de Laleia vista ao longe 3

A Igreja de Laleia vista ao longe 4

 

 

 

 

A Igreja de Laleia vista de frente

A Igreja de Laleia vista de frente

Igreja de Laleia vista de frente

A Igreja de Laleia vista de frente

Espaço onde os meninos se juntam para jogar à bola

A igreja tem várias janelas, permitindo boa circulação do ar

O seu estilo faz lembrar algumas igreja do sul de Portugal

A casa paroquial (agora convento) fica ao lado direito da Igreja

 

 

 

 

Vista lateral da Igreja de Laleia

Vista lateral da Igreja de Laleia

Vista lateral da Igreja de Laleia

Vista lateral da Igreja de Laleia

Vista lateral da Igreja 1

Vista lateral da Igreja 2

Vista lateral da Igreja 3

Vista lateral da Igreja 4

 

 

 

 

Nossa Senhora do Rosário de Laleia, padroeira desta Igreja

Nossa Senhora do Rosário de Laleia, padroeira desta Igreja

Imagem de Santo António

Imagem de Santa Teresinha

Nossa Senhora do Rosário de Laleia, padroeira desta Igreja

Nossa Senhora e o Menino Jesus, no presépio, no Natal de 2003

Imagem de Santo António, o Santo mais venerado em Timor-Leste

Santa Teresinha, padroeira de uma das famílias de Laleia

 

 

 

 

Vista do coro sobre o corpo da Igreja

Corpo da Igreja

Corpo da Igreja

Corpo da Igreja, visto a partir do presbitério

Corpo da Igreja visto do coro

Corpo da Igreja visto da entrada

Corpo da Igreja visto da entrada

Corpo da Igreja visto presbitério

 

 

 

 

Capela (à direita) com Jesus Crucificado

Capela (à direita) com Jesus Crucificado

Capela lateral

Capela (à direita) com Jesus Crucificado

Capela lateral direita 1

Capela lateral direita 2

Capela lateral direita 3

Capela lateral direita 4

 

 

 

 

Capela (à esquerda) onde está o Sacrário e uma imagem do Sagrado Coração de Jesus

Capela (à esquerda). Pormenor da imagem do Sagrado Coração de Jesus, por cima do Sacrário

Capela (à esquerda). Pormenor da imagem do Sagrado Coração de Jesus, por cima do Sacrário

Capela (à esquerda) onde está o Sacrário e uma imagem do Sagrado Coração de Jesus

Capela lateral esquerda 1

Capela lateral esquerda 2

Capela lateral esquerda 3

Capela lateral esquerda 4

 

 

 

 

A igreja vista por cima. O telhado, feito com velhas chapas de zinco, já não consegue evitar a entrada da chuva

Pormenor da janela da Sacristia. A Sacristia continua a ser mais uma arrecadação do que o espaço onde o Sacerdote se prepara para celebrar Eucaristia ou recebe as pessoas.

Pormenor de uma das duas torres da Igreja de Laleia. Esta foi das poucas igrejas que não foram totalmente destruídas.

A Igreja vista a partir da varando do convento, onde os freis todos os dias rezam o terço.

O velho telhado já não consegue evitar a entrada da chuva.

A Sacristia ainda não tem armário para guardar as alfaias sagradas.

As torres eram mais altas mas foram derrubadas durante a 2ª G.M.

Vista da varanda do convento, onde os freis rezam o terço.

 

 

 

 

Salão de Nossa Senhora do Rosário (Na'in Feto Rosário) onde se celebram missas campais

Salão de Nossa Senhora do Rosário (Na'in Feto Rosário) onde se celebram missas campais. Imagem de Nossa Senhora do Rosário

Salão de Nossa Senhora do Rosário (Na'in Feto Rosário) onde se celebram missas campais. Imagem do Sagrado Coração de Jesus

Salão de Nossa Senhora do Rosário (Na'in Feto Rosário) onde se celebram missas campais. Pormenor dos Dons do Pão e do Vinho, transformados em Corpo e Sangue de Cristo

Salão Na'in Feto Rosário, onde se celebram missas campais

Imagem de Nossa Senhora do Rosário, no Salão Na'in Feto Rosário

Imagem do Sagrado Coração de Jesus, no Salão Na'in Feto Rosário

Dons do Pão e do Vinho, pintados ao centro da parede do Salão

 

 

 

 

Coro da Igreja. O acesso a este espaço é algo complicado, pelo que evitamos a sua utilização

Coro da Igreja. O acesso a este espaço é algo complicado, pelo que evitamos a sua utilização

Adro da Igreja onde se prevê a construção de um salão com várias salas para o funcionamento da catequese, para além das devidas estruturas que a Estação Missionária precisa para ser paróquia

Adro da Igreja. Diariamente, este espaço, é invadido por dezenas de animais, que chegam mesmo a entrar na igreja. As zeladoras do Apostolado da Oração encarregam-se da sua limpeza. Parece-nos que se fecharmos este espaço à entrada de animais, abri-lo-emos às pessoas!

O acesso ao coro é feito por uma escada íngreme de madeira.

Para além de ser de difícil acesso, o coro é muito pequenino.

O espaço onde se prevê que venha a funcionar a catequese 1

O espaço onde se prevê que venha a funcionar a catequese 2

 

 
Página Principal | Capuchinhos em Portugal | Contactos | Ficha Técnica | Sugestões

© 2005 Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (Portugal)